Artwork

Indhold leveret af Dr. adilson neuropsicanalista. Alt podcastindhold inklusive episoder, grafik og podcastbeskrivelser uploades og leveres direkte af Dr. adilson neuropsicanalista eller deres podcastplatformspartner. Hvis du mener, at nogen bruger dit ophavsretligt beskyttede værk uden din tilladelse, kan du følge processen beskrevet her https://da.player.fm/legal.
Player FM - Podcast-app
Gå offline med appen Player FM !

As influências filosóficas de Martin Heidegger nas obras de Bento XVI

1:11:51
 
Del
 

Manage episode 401372416 series 3274112
Indhold leveret af Dr. adilson neuropsicanalista. Alt podcastindhold inklusive episoder, grafik og podcastbeskrivelser uploades og leveres direkte af Dr. adilson neuropsicanalista eller deres podcastplatformspartner. Hvis du mener, at nogen bruger dit ophavsretligt beskyttede værk uden din tilladelse, kan du følge processen beskrevet her https://da.player.fm/legal.
Rita: As influências filosóficas de Martin Heidegger nas obras de Bento XVI Embora Bento XVI tenha reconhecido a importância do pensamento de Martin Heidegger em sua formação intelectual, sua relação com as ideias de Heidegger é complexa. Embora Heidegger tenha influenciado Bento XVI em certos aspectos, também existem diferenças e críticas significativas em relação às ideias do filósofo alemão. Aqui estão algumas das influências filosóficas de Heidegger nas obras de Bento XVI: 1. Análise da existência humana: Heidegger é conhecido por sua análise fenomenológica da existência humana, na qual explora questões como a angústia, a temporalidade e a busca pelo sentido do ser. Essas reflexões ressoam nas obras de Bento XVI, que também examina a condição humana, a busca pelo sentido e a relação entre a fé e a existência. 2. Hermenêutica: Heidegger desenvolveu uma abordagem hermenêutica da interpretação, que enfatiza a compreensão do ser e a interpretação da linguagem. Bento XVI também valoriza a hermenêutica e discute a importância da interpretação correta dos textos sagrados e da tradição cristã. 3. Crítica ao tecnicismo e à alienação: Heidegger criticou a sociedade moderna por sua tendência ao tecnicismo e à alienação, argumentando que a tecnologia e a racionalidade instrumental afastam as pessoas de uma existência autêntica. Bento XVI compartilha preocupações semelhantes em relação ao avanço tecnológico e sua influência na experiência humana, enfatizando a necessidade de uma abordagem equilibrada e ética em relação à tecnologia. No entanto, é importante ressaltar que Bento XVI também expressou críticas e reservas em relação às ideias de Heidegger. Por exemplo, ele discorda da visão de Heidegger sobre o papel da razão e da filosofia, argumentando que a fé e a razão podem e devem estar em diálogo harmonioso, ao contrário da visão heideggeriana de que a razão é incapaz de revelar a verdade do ser. Em suma, enquanto Bento XVI reconhece a influência de Heidegger em sua formação intelectual e se apropria de certos conceitos e abordagens fenomenológicas, ele também faz distinções e críticas em relação às ideias do filósofo alemão. Quais são as principais críticas de Bento XVI às ideias de Heidegger? Bento XVI expressou algumas críticas às ideias de Martin Heidegger. Aqui estão algumas delas: 1. Visão sobre a razão: Uma das críticas de Bento XVI em relação a Heidegger está relacionada à visão deste último sobre a razão. Enquanto Heidegger tende a enfatizar a limitação da razão e sua incapacidade de alcançar a verdade última, Bento XVI argumenta que a razão humana é capaz de conhecer e compreender a realidade, incluindo a existência de Deus. Para Bento XVI, a fé e a razão não estão em oposição, mas podem e devem estar em diálogo harmonioso. 2. Relação com a tradição filosófica e teológica: Bento XVI também critica Heidegger por sua abordagem desvinculada da tradição filosófica e teológica. Enquanto Heidegger busca uma abordagem radicalmente inovadora, questionando e desconstruindo conceitos tradicionais, Bento XVI valoriza a continuidade com a tradição e acredita que é importante construir sobre o conhecimento e a sabedoria acumulados ao longo dos séculos. 3. Ideias sobre o ser e a transcendência: Bento XVI discorda da concepção de Heidegger sobre o ser e a transcendência. Heidegger tende a enfatizar o ser como algo imanente à existência humana, enquanto Bento XVI enfatiza a transcendência de Deus e a capacidade humana de se abrir para o divino. Bento XVI acredita que a busca pelo sentido último da existência inclui uma dimensão transcendental que vai além da experiência imediata. Essas são algumas das principais críticas que Bento XVI faz às ideias de Heidegger. No entanto, é importante notar que Bento XVI também reconhece o valor das contribuições de Heidegger para a filosofia e a fenomenologia, embora busque integrar essas perspectivas em seu próprio pensamento teológico e filosófico de maneira crítica e reflexiva. --- Send in a voice message: https://podcasters.spotify.com/pod/show/neuropsicanalise/message Support this podcast: https://podcasters.spotify.com/pod/show/neuropsicanalise/support
  continue reading

91 episoder

Artwork
iconDel
 
Manage episode 401372416 series 3274112
Indhold leveret af Dr. adilson neuropsicanalista. Alt podcastindhold inklusive episoder, grafik og podcastbeskrivelser uploades og leveres direkte af Dr. adilson neuropsicanalista eller deres podcastplatformspartner. Hvis du mener, at nogen bruger dit ophavsretligt beskyttede værk uden din tilladelse, kan du følge processen beskrevet her https://da.player.fm/legal.
Rita: As influências filosóficas de Martin Heidegger nas obras de Bento XVI Embora Bento XVI tenha reconhecido a importância do pensamento de Martin Heidegger em sua formação intelectual, sua relação com as ideias de Heidegger é complexa. Embora Heidegger tenha influenciado Bento XVI em certos aspectos, também existem diferenças e críticas significativas em relação às ideias do filósofo alemão. Aqui estão algumas das influências filosóficas de Heidegger nas obras de Bento XVI: 1. Análise da existência humana: Heidegger é conhecido por sua análise fenomenológica da existência humana, na qual explora questões como a angústia, a temporalidade e a busca pelo sentido do ser. Essas reflexões ressoam nas obras de Bento XVI, que também examina a condição humana, a busca pelo sentido e a relação entre a fé e a existência. 2. Hermenêutica: Heidegger desenvolveu uma abordagem hermenêutica da interpretação, que enfatiza a compreensão do ser e a interpretação da linguagem. Bento XVI também valoriza a hermenêutica e discute a importância da interpretação correta dos textos sagrados e da tradição cristã. 3. Crítica ao tecnicismo e à alienação: Heidegger criticou a sociedade moderna por sua tendência ao tecnicismo e à alienação, argumentando que a tecnologia e a racionalidade instrumental afastam as pessoas de uma existência autêntica. Bento XVI compartilha preocupações semelhantes em relação ao avanço tecnológico e sua influência na experiência humana, enfatizando a necessidade de uma abordagem equilibrada e ética em relação à tecnologia. No entanto, é importante ressaltar que Bento XVI também expressou críticas e reservas em relação às ideias de Heidegger. Por exemplo, ele discorda da visão de Heidegger sobre o papel da razão e da filosofia, argumentando que a fé e a razão podem e devem estar em diálogo harmonioso, ao contrário da visão heideggeriana de que a razão é incapaz de revelar a verdade do ser. Em suma, enquanto Bento XVI reconhece a influência de Heidegger em sua formação intelectual e se apropria de certos conceitos e abordagens fenomenológicas, ele também faz distinções e críticas em relação às ideias do filósofo alemão. Quais são as principais críticas de Bento XVI às ideias de Heidegger? Bento XVI expressou algumas críticas às ideias de Martin Heidegger. Aqui estão algumas delas: 1. Visão sobre a razão: Uma das críticas de Bento XVI em relação a Heidegger está relacionada à visão deste último sobre a razão. Enquanto Heidegger tende a enfatizar a limitação da razão e sua incapacidade de alcançar a verdade última, Bento XVI argumenta que a razão humana é capaz de conhecer e compreender a realidade, incluindo a existência de Deus. Para Bento XVI, a fé e a razão não estão em oposição, mas podem e devem estar em diálogo harmonioso. 2. Relação com a tradição filosófica e teológica: Bento XVI também critica Heidegger por sua abordagem desvinculada da tradição filosófica e teológica. Enquanto Heidegger busca uma abordagem radicalmente inovadora, questionando e desconstruindo conceitos tradicionais, Bento XVI valoriza a continuidade com a tradição e acredita que é importante construir sobre o conhecimento e a sabedoria acumulados ao longo dos séculos. 3. Ideias sobre o ser e a transcendência: Bento XVI discorda da concepção de Heidegger sobre o ser e a transcendência. Heidegger tende a enfatizar o ser como algo imanente à existência humana, enquanto Bento XVI enfatiza a transcendência de Deus e a capacidade humana de se abrir para o divino. Bento XVI acredita que a busca pelo sentido último da existência inclui uma dimensão transcendental que vai além da experiência imediata. Essas são algumas das principais críticas que Bento XVI faz às ideias de Heidegger. No entanto, é importante notar que Bento XVI também reconhece o valor das contribuições de Heidegger para a filosofia e a fenomenologia, embora busque integrar essas perspectivas em seu próprio pensamento teológico e filosófico de maneira crítica e reflexiva. --- Send in a voice message: https://podcasters.spotify.com/pod/show/neuropsicanalise/message Support this podcast: https://podcasters.spotify.com/pod/show/neuropsicanalise/support
  continue reading

91 episoder

Alle episoder

×
 
Loading …

Velkommen til Player FM!

Player FM is scanning the web for high-quality podcasts for you to enjoy right now. It's the best podcast app and works on Android, iPhone, and the web. Signup to sync subscriptions across devices.

 

Hurtig referencevejledning